Foto: Reprodução/Redes Sociais

Despedida de uma Campeã

Morreu aos 37 anos, na madrugada desta segunda-feira, dia 18, a renomada nadadora paralímpica Joana Neves, conhecida carinhosamente como “Peixinha” e “Joaninha”. Sua partida deixou uma lacuna no mundo esportivo e um legado de determinação e superação.

A Trajetória de Uma Guerreira

Nascida em Natal, Joana Neves enfrentou desde cedo os desafios impostos pela acondroplasia, uma condição genética que afeta o crescimento dos ossos. Por recomendação médica, aos 16 anos, ela mergulhou nas águas da natação como forma de terapia. Rapidamente, seu talento e dedicação a transformaram em uma das principais figuras do paradesporto nacional.

O Brilho nas Competições

Joana Neves conquistou inúmeras medalhas ao longo de sua carreira, destacando-se em competições paralímpicas e campeonatos mundiais. Sua determinação e habilidade dentro das piscinas inspiraram não apenas atletas, mas também espectadores ao redor do mundo.

Em Busca de Respostas

Nos últimos tempos, Joana vinha enfrentando problemas de saúde, incluindo episódios de convulsão. Sua ida a São Paulo para realizar uma bateria de exames visava encontrar respostas para seus desconfortos físicos, porém, infelizmente, sua jornada foi interrompida de forma trágica.

Legado e Memórias

Apesar da partida precoce, Joana Neves deixa um legado de coragem, determinação e paixão pelo esporte. Sua história continuará a inspirar futuras gerações de atletas, provando que o verdadeiro poder está na resiliência e na capacidade de superação, dentro e fora das piscinas. Que sua memória seja eternizada como um exemplo de força e perseverança.